Posts tagged ‘renda variável’

Fundo de dividendos é alternativa de aplicação menos volátil

Se a forte oscilação da Bolsa de Valores assusta – principalmente em um ano tão instável como foi 2010 -, mas há interesse em se aventurar com renda variável, um bom caminho pode ser investir em fundos que aplicam em ações de companhias com bom potencial para o pagamento de dividendos, apontam analistas.

Os dividendos são a distribuição de parte do lucro das empresas para seus acionistas. Em alguns casos, esse pagamento é feito mais de uma vez por ano e em um percentual elevado, em torno de 70% ou 80%.

Nesses fundos, a ideia é que os ganhos para os cotistas venham tanto da valorização das ações – como ocorre nos demais fundos de ações – como do pagamento dos dividendos. Outra vantagem apontada pelos especialistas é que este tipo de fundo tende a ter uma oscilação menor que a do Ibovespa, referência do mercado, seja para cima ou para baixo. Mas é preciso ficar alerta: o risco ainda existe, como em todo investimento em renda variável.

O fundo é um pouco menos arriscado que aqueles que miram apenas na valorização das ações, mas evidentemente vai oscilar como todo fundo de ações.

dezembro 15, 2010 at 7:52 pm Deixe um comentário

Proximidade do recorde e aumento dos investimentos em ações estimula a educação financeira

Na semana passada, o Ibovespa, principal índice de ações da Bolsa paulista, teve alta de 1,52% no fechamento, aos 72.995 pontos, perto de atingir seu patamar recorde que foi de 73.516 pontos, registrados em 20/05/08.

O mercado financeiro vem monstrando sinais muito positivos e os dados de outubro são provas disso. A BM&FBovespa registrou média diária de volume financeiro recorde no segmento de renda variável com R$ 7,777 bilhões, superando os R$ 6,713 bilhões de setembro.

A média diária de negócios também atingiu o recorde de 511.041 em outubro. No total, em outubro, os investidores, que se mostram mais confiantes, realizaram quase 1 milhão de negócios a mais que em setembro: 10.220.821 negócios em outubro ante 9.398.749 em setembro.

É certo que a maior parte desse volume de negócios são realizados por empresas e grandes investidores, mas tem crescido bastante o número de pessoas físicas que investem na Bolsa de Valores. Um dos principais fatores que colaboram para esse aumento significativo dos investimentos em ações é a internet, que possibilita o uso de ferramentas online para que se possa operar através do chamado home broker. Além disso, é a internet também que tem proporcionado melhores condições de aprendizagem e educação financeira para novos investidores. Os internautas estão se familiarizando rapidamente com as ferramentas virtuais e operar via home broker é uma maneira fácil para começar a investir em ações. Um das principais facilidades de usar uma ferramenta online, como o home broker, é a rapidez com que se resolve tudo.

Mas investir na bolsa de valores e ter ganhos, pode estar mais fácil hoje, mas não é tão simples quanto parece. Para ter lucros, não basta simplesmente comprar uma ação aqui e vender outra ali. Novos investidores precisam estar atentos com detalhes e sinais que vão orientar suas movimentações. Para entender e reconhecer facilmente esses sinais, é importante manter-se atualizado sobre as novidades do mercado e aprimorar-se no segmento, participando de cursos, palestras e eventos.

A EnsinaInvest, portal de educação financeira, oferece cursos e palestras gratuitas que tem o objetivo de esclarecer dúvidas e agregar informações importantes, principalmente para novos investidores.

Nesta segunda-feira, 08/11, tem início o curso “Aprenda as 7 Estratégias mais vencedoras na Bolsa”, recomendado para pessoas que possuem conhecimento superficial sobre o mercado de capitais e desejam aprofundar o seu poder de decisão através de estratégias operacionais conservadoras e agressivas. Amanhã, 09/11 é a vez da palestra gratuita “Casais Inteligentes Investem Juntos” que tem o objetivo de fornecer um amplo panorama do que é o mercado de ações e como um casas deve gerir a vida financeira com sucesso.

novembro 8, 2010 at 11:20 am Deixe um comentário

Bancos e investidores estrangeiros já ensaiam retorno para a Bolsa

Adriele Marchesini

SÃO PAULO – A queda quase que generalizada do mercado de ações brasileiro em 2008 – situação essa causada, principalmente, pela debandada recorde de investidores estrangeiros, que somou R$ 24,629 bilhões – fez com que instituições financeiras brasileiras reduzissem suas aplicações em renda variável ao menor nível anual da história. Conforme dados divulgados pela BM&F Bovespa, a participação de bancos e outras empresas do segmento nos negócios totais foi de 7,8% pela média. É a primeira vez que o índice encerra um ano abaixo de dois dígitos desde o início da série histórica do levantamento, datado de 1994. No ano anterior, a participação havia ficado em 10,4%. Mas com melhores oportunidades e um certo fôlego verificado nos primeiros dias do ano, a expectativa é que haja uma retomada dessas aplicações, assim como dados apontam para uma tendência de retorno do capital internacional: nos três primeiros dias úteis do ano, o Ibovespa – que mede a variação das principais ações negociadas – já acumula recuperação de 12,68%, depois de cair mais de 40% no ano passado.

“A diminuição do apetite das instituições financeiras por ações se agravou mais da metade do ano em diante, à medida que a situação externa evoluiu negativamente. Elas tiveram de ser mais conservadoras em suas posições”, explicou o economista-chefe do Banco Schahin, Silvio Campos Neto. Os números demonstram essa situação. Em agosto, a participação estava em 9,8% do total. No mês seguinte – período no qual a crise financeira internacional se agravou, após a concordata do Lehman Brothers – a fatia foi reduzida para 7%, caindo para 6% em outubro e atingindo sua mínima, de 5,4%, em novembro. No último mês do passado, a situação mostrou sinais de recuperação, quando a participação aumentou para 6,2%. A tendência é que esse movimento de retomada dos investimentos continue. “Os preços dos Treasuries (títulos do Tesouro norte-americanos) acabaram se sobrevalorizando por conta da forte procura”, continuou Campos, indicando que esse tipo de aplicação perdeu gradativamente sua atratividade – quando mais caro se paga pelo papel, menor é o retorno dos juros que já são extremamente baixos nos Estados Unidos, flutuando entre 0,25% e zero. Além disso, conforme apurou o DCI, os altos lucros dos bancos com operações de títulos e valores mobiliários vistos ano passado tendem a não se repetir em 2009, exatamente por conta da renda fixa, que foi vista ano passado como a aplicação com melhor custo-benefício. O motivo são as perspectivas de queda na taxa básica de juros da economia, a Selic, hoje em 13,75% ao ano. Para se ter uma ideia, dados do Banco Central mostraram que, em 2008, esses ganhos mais que dobraram pela média dos cinco maiores bancos do País.

“Como a Bolsa sempre antecipa os movimentos, as notícias ruins que continuam aparecendo já estão precificadas. Então, as aplicações em ações voltam a se tornar uma alternativa viável”, ponderou Campos, levando em consideração o baixo preço dos ativos. Professor da ESPM e gerente de Projetos Comerciais de um banco com porte considerável, Oswaldo Pelaes Filho adiciona uma variável a essa lógica. “Muitas instituições também deixaram de aplicar em renda variável porque, com a escassez de linhas de linhas interbancárias, precisaram utilizar os recursos para sua atividade-fim, que é a concessão de crédito”, ponderou. “Dessa maneira, com a recuperação das linhas e com ajuda do governo federal, novamente os bancos vão ter um caixa excedente, não tão grande quanto em 2008, e vão voltar a aplicar”, adicionou.

Grandes investidores estão retornando às bolsas

Grandes investidores estão retornando às bolsas

Os dados também mostram que o movimento de debandada dos investidores internacionais – os principais negociadores do mercado, com 35,5% do toal – dá sinais claros de desaceleração. Em outubro, saíram R$ 4,7 bilhões do mercado brasileiro, cifra reduzida para R$ 1,15 bilhão em novembro e, finalmente, para R$ 440 milhões no último mês do ano. “Esses investidores começam a perceber que a rentabilidade da renda fixa cai. Então, para melhorar seus rendimentos, voltam a aplicar em ações”, explicou Keyler Carvalho Rocha, professor do Laboratório de Finanças da Fundação Instituto de Administração (FIA). “Percebeu-se que o potencial de crescimento das ações brasileiras são muito melhores que de outros países”, continuou. Campos Neto, do Schain, lembrou que desvalorização de aproximadamente 30% do Real frente ao dólar no ano passado reforça o ganho da estratégia de buscar o mercado brasileiro. “Os próprios preços em Real estão menores, o que aumenta a atratividade”, afirmou. “Mas o fato de estarmos passando por um momento positivo não descarta novas oscilações”, finalizou.

Boletim divulgado ontem pela Associação Nacional dos Bancos de Investimento (Anbid) mostrou que, no acumulado de 2008, a captação de recursos no mercado de renda variável somou R$ 34,882 bilhões, 55% a menos do que os R$ 75,5 bilhões registrados em 2007. A cifra, contudo, ainda é 10% maior do que os R$ 31,3 bilhões verificados em 2006.

Do volume emitido no ano passado, R$ 7,8 bilhões foram oriundos de ofertas primárias de ações (IPO, da sigla em inglês). Nas destinações de recursos feitos por meio dessas operações, destacou-se a aquisição de participação acionária, representando 56,3% do total. Em segundo lugar, veio a necessidade de capital de giro, com 27,8%.

Conforme a BM&F Bovespa, o valor de mercado das 392 empresas brasileiras de capital aberto encerrou o ano em R$ 588,5 bilhões, com um recuo de 55% frente ao R$ 1,293 trilhão contabilizado em janeiro de 2008, quando 402 companhias estavam listadas. Nos primeiros cinco dias de 2009, o volume teve um avanço de 8,8%, para R$ 640 bilhões.

janeiro 7, 2009 at 8:00 pm Deixe um comentário

Apesar de tudo, aumentam os investidores

Mais investidores estão cada vez mais atentos

Mais investidores estão cada vez mais atentos

Mesmo no momento atual que é de grande volatilidade para a renda variável, o mercado de ações continua atraindo investidores. O mais interessante é que são pessoas físicas.

De acordo com o último balanço divulgado pela BM&F Bovespa, o número de investidores de varejo saltou de 456.557, em todo ano de 2007, para 548.706 no acumulado de 2008. De outubro para novembro deste ano, a Bolsa de Valores de São Paulo ganhou 6.564 novos investidores.

Isso acontece porque o brasileiro está aprendendo cada vez mais sobre o mercado de ações e aprendendo a aplicar também, está atento às notícias e se preparando cada vez mais com livros e cursos.

O novo investidores já se conscientizou dos riscos e também que ações são investimentos de longo prazo indicadas para formação de patrimônio e não para ganho fácil no curto prazo.

É certo que no início as pessoas começam a investir em ações apenas porque vêem exemplos de outras pessoas que ganharam algum dinheiro e por isso pssam a dar atenção maior.

Para especialistas, os programas de popularização da Bolsa são bastante democráticos, em razão dos diferentes perfis de pessoas que buscam informações sobre o mercado de capitais. Um dos exemplos é o Bovespa vai até você, que leva a Bolsa de Valores até os cidadãos.

dezembro 11, 2008 at 11:24 pm Deixe um comentário


Dados econômicos

IBOV
Gráfico IBOV
Dow Jones
Gráfico Dow Jones
Treasuries Americanos
titulos do tesouro americano
Óleo
Gráfico óleo
Petrobrás (Petr4)
Vale5
Grafico vale
ADR-Vale(RIO-p)
Grafico vale
Níquel intraday
nickel
Bolsa na Ásia
BOLSAS NA ÁSIA

analise fundamentalista analise grafica de açoes análise gráfica análise técnica análise técnica de ações aplicar em ações aplicar na bolsa aplicar na bolsa de valores aprenda a investir em açoes aprender a aplicar na bolsa de valores aprender a investir em ações açoes açoes da bolsa de valores açoes em alta ações da Petrobrás ações de empresas brasileiras ações na bolsa BM&F Bovespa bolsa de valores Bolsa de Valores de São Paulo Bovespa capitalização da Petrobras carteira de ações Comissão de Valores Mobiliários compra de ações compra e venda de açoes comprar ações comprar ações da petrobrás curso Análise Gráfica curso de investimentos em açoes curso gratis de açoes cursos de investimentos cursos de investimentos em ações Dow Jones economia americana economia norte-americana educação financeira fundo de ações fundos de investimentos ganhar dinheiro com ações ganhar dinheiro na bolsa home broker Ibovespa instituições financeiras investidor investidores investidores estrangeiros investimento de longo prazo investimento em ações investimento na bolsa de valores investimentos em ações investimentos na bolsa de valores investir em ações investir na bolsa investir na Bolsa de Valores investir no Mercado de Ações mercado acionário mercado de ações mercado de capitais mercado financeiro nasdaq novos investidores Oferta de ações da Petrobras o que é home broker pequeno investidor PETR4 preço das ações preços das ações queda das bolsas renda variável valorização das ações vender ações volatilidade do mercado Wall Street índice da bolsa de valores