Economistas revelam as projeções de suas bolas de cristal para 2011

dezembro 22, 2010 at 1:49 pm Deixe um comentário

EXAME.com traz as expectativas dos principais nomes da economia para PIB, inflação, dólar, juros e balança comercial Luiz Artur Nogueira, de Exame.com

Economia não é ciência exata

Os economistas frequentemente recebem críticas por erros em suas previsões. Embora muitos utilizem modelos matemáticos e econométricos para tentar antecipar o futuro, não há como garantir 100% de acerto.

Em 2011, a grande incógnita é a Europa. No mercado, poucos têm uma visão tão pessimista como a de Ricardo Amorim, que vislumbra sérios problemas na Espanha. A maioria embutiu em suas projeções “apenas” um crescimento lento dos países ricos. Outra ponto-chave é a China. Uma pequena desaceleração já foi incorporada às análises, mas não uma pisada forte no freio.

O Brasil, nesse contexto, deve ter um ano positivo. Dentre as projeções coletadas por EXAME.com, a menor é de um crescimento de 4,3% do PIB. Câmbio comportado, inflação pressionada (mas não superior ao teto da meta) e juros em alta são outras previsões predominantes. Já o desempenho da balança comercial dependerá fundamentalmente do preço das commodities (novamente entram aqui incertezas internacionais).

Os economistas renomados ouvidos nessa reportagem têm currículo invejável, farta experiência em cargos públicos e privados e, em muitos casos, uma numerosa e competente equipe de analistas que olham com lupa todos os indicadores. Isso tudo não é garantia de perfeição. A figura da bola de cristal, evidentemente, é uma brincadeira, mas é importante reconhecer que a Economia não é uma ciência exata.

Ilan Goldfajn tem as menores projeções para PIB e balança

São Paulo – Do grupo de renomados economistas ouvidos por EXAME.com, Ilan Goldfajn é quem possui as menores previsões para PIB (4,3%) e superávit da balança comercial (US$ 1 bilhão).

O economista-chefe do Itaú Unibanco, que tem no currículo a experiência como diretor de política econômica do Banco Central, aposta que o aperto nos juros começará na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), nos dias 18 e 19 de janeiro.

Elaboração: EXAME.com
Indicadores 2011
PIB 4,3%
IPCA 5,6%
Taxa de câmbio – média (R$/US$) 1,74
Taxa de câmbio – fim de período (R$/US$) 1,77
Balança comercial (US$) 1 bi
Meta taxa Selic – fim de período (a.a.) 12,25%
1ª alta (se houver) Janeiro

Mailson da Nóbrega prevê saldo comercial superior ao de 2010

São Paulo – O ex-ministro da Fazenda Maílson da Nóbrega é o único economista citado nesta reportagem que projeta um saldo para a balança comercial maior no ano que vem (US$ 18 bilhões) do que o registrado em 2010 (entre US$ 16 bilhões e US$ 17 bilhões).

O sócio da Tendências Consultoria acredita que a alta dos juros aconteça apenas a partir da reunião de março do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central.

Elaboração: EXAME.com
Indicadores 2011
PIB 4,4%
IPCA 5,5%
Taxa de câmbio – média (R$/US$) 1,75
Taxa de câmbio – fim de período (R$/US$) 1,79
Balança comercial (US$) 18 bi
Meta taxa Selic – fim de período (a.a.) 12,25%
1ª alta (se houver) Março

Alexandre Schwartsman prevê a maior alta de juros

São Paulo – Do grupo de especialistas ouvidos por EXAME.com, o economista-chefe do Santander, Alexandre Schwartsman, é quem vislumbra o maior aperto monetário, com a Selic chegando a 13% ao ano.

No quesito câmbio, o ex-diretor de Assuntos Internacionais do Banco Central tem a segunda maior projeção para o dólar: R$ 1,78, na média, e R$ 1,85, na ponta de dezembro.

Elaboração: EXAME.com
Indicadores 2011
PIB 4,5%
IPCA 5,5%
Taxa de câmbio – média (R$/US$) 1,78
Taxa de câmbio – fim de período (R$/US$) 1,85
Balança comercial (US$) 6,5 bi
Meta taxa Selic – fim de período (a.a.) 13%
1º alta (se houver) Janeiro

J. R. Mendonça de Barros tem a menor projeção para o dólar

São Paulo – Com um dólar estimado em R$ 1,70 no final do ano que vem, o ex-secretário de política econômica do Ministério da Fazenda José Roberto Mendonça de Barros projeta, ao lado de Octavio de Barros, do Bradesco, a taxa de câmbio mais valorizada em 2011.

O sócio da MB Associados prevê alta dos juros na reunião de janeiro do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central e saldo positivo da balança comercial de apenas US$ 2,7 bilhões (o segundo menor superávit entre os consultados por EXAME.com).

Elaboração: EXAME.com
Indicadores 2011
PIB 5%
IPCA 5,3%
Taxa de câmbio – média (R$/US$) 1,70
Taxa de câmbio – fim de período (R$/US$) 1,70
Balança comercial (US$) 2,7 bi
Meta taxa Selic – fim de período (a.a.) 12,75%
1ª alta (se houver) Janeiro

Antonio Corrêa de Lacerda tem o maior dólar e a menor Selic

São Paulo – Do grupo de economistas consultados por EXAME.com, o professor doutor do departamento de Economia da PUC-SP Antonio Corrêa de Lacerda é quem possui as maiores projeções para o dólar: R$ 1,80 (média) e R$ 1,90 (na ponta de dezembro).

Lacerda, que integra o Conselho Superior de Economia da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), é o único que prevê queda da taxa Selic no ano que vem, passando dos atuais 10,75% para 9,50% ao ano.

Elaboração: EXAME.com
Indicadores 2011
PIB 5%
IPCA 5%
Taxa de câmbio – médio (R$/US$) 1,80
Taxa de câmbio – fim de período (R$/US$) 1,90
Balança comercial (US$) 12 bi
Meta taxa Selic – fim de período (a.a.) 9,50%
1ª alta (se houver) ——–

Carlos Thadeu de Freitas possui a maior projeção de inflação

São Paulo – Do grupo de especialistas ouvidos por EXAME.com, o chefe do departamento econômico da Confederação Nacional do Comércio (CNC), Carlos Thadeu de Freitas, é quem possui a previsão mais alta para a inflação no ano que vem (5,7%).

O ex-diretor do Banco Central prevê o início do aperto monetário apenas em março e projeta saldo da balança comercial parecido com o que será registrado nesse ano: US$ 16 bilhões.

Elaboração: EXAME.com
Indicadores 2011
PIB 4,5%
IPCA 5,7%
Taxa de câmbio – média (R$/US$) 1,70
Taxa de câmbio – fim de período (R$/US$) 1,75
Balança comercial (US$) 16 bi
Meta taxa Selic – fim de período (a.a.) 12%
1ª alta (se houver) Março

Octavio de Barros prevê estabilidade na taxa de juros

São Paulo – O economista-chefe do Bradesco, Octavio de Barros, é o único do grupo consultado por EXAME.com que aposta na manutenção da Selic em 2011. Esse cenário, segundo o especialista, tem 60% de chances de acontecer. O cenário alternativo seria de alta dos juros, a partir de março, de 10,75% para 12% ao ano.

Ao lado de José Roberto Mendonça de Barros, tem a taxa de câmbio mais valorizada no encerramento de 2011: R$ 1,70

Elaboração: EXAME.com
Indicadores 2011
PIB 4,5%
IPCA 5,3%
Taxa de câmbio – média (R$/US$) 1,70
Taxa de câmbio – fim de período (R$/US$) 1,70
Balança comercial (US$) 14,1 bi
Meta taxa Selic – fim de período (a.a.) 10,75%
1ª alta (se houver) ———-

José Julio Senna tem previsões ao redor da média

São Paulo – As projeções para PIB, IPCA, dólar, Selic e balança comercial do sócio-diretor da MCM Consultores José Júlio Senna estão próximas à média das estimativas colhidas por EXAME.com. O aperto monetário, segundo ele, começa em janeiro e o dólar encerra o ano vendido a R$ 1,77.

Ex-diretor do Banco Central, José Júlio Senna lançou recentemente o livro “Política Monetária: idéias, experiências e evolução”, pela Editora FGV.

Elaboração: EXAME.com
Indicadores 2011
PIB 4,47%
IPCA 5,37%
Taxa de câmbio – média (R$/US$) 1,74
Taxa de câmbio – fim de período (R$/US$) 1,77
Balança comercial (US$) 9,02 bi
Meta taxa Selic – fim de período (a.a) 12,25%
1ª alta (se houver) Janeiro
Anúncios

Entry filed under: Ações, aprender a investir em ações, Últimas, bolsa de valores, cursos de investimentos, Dicas, Fundos de Investimentos em Ações, investimentos em ações, mercado de ações, Notícias da Bolsa de Valores, Recomendações, Situação do mercado. Tags: , , , , , , , , , , , .

Morgan Stanley eleva recomendação de ações no Brasil para overweight Confira as 10 notícias para lidar com os mercados nesta quarta-feira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Dados econômicos

IBOV
Gráfico IBOV
Dow Jones
Gráfico Dow Jones
Treasuries Americanos
titulos do tesouro americano
Óleo
Gráfico óleo
Petrobrás (Petr4)
Vale5
Grafico vale
ADR-Vale(RIO-p)
Grafico vale
Níquel intraday
nickel
Bolsa na Ásia
BOLSAS NA ÁSIA

analise fundamentalista analise grafica de açoes análise gráfica análise técnica análise técnica de ações aplicar em ações aplicar na bolsa aplicar na bolsa de valores aprenda a investir em açoes aprender a aplicar na bolsa de valores aprender a investir em ações açoes açoes da bolsa de valores açoes em alta ações da Petrobrás ações de empresas brasileiras ações na bolsa BM&F Bovespa bolsa de valores Bolsa de Valores de São Paulo Bovespa capitalização da Petrobras carteira de ações Comissão de Valores Mobiliários compra de ações compra e venda de açoes comprar ações comprar ações da petrobrás curso Análise Gráfica curso de investimentos em açoes curso gratis de açoes cursos de investimentos cursos de investimentos em ações Dow Jones economia americana economia norte-americana educação financeira fundo de ações fundos de investimentos ganhar dinheiro com ações ganhar dinheiro na bolsa home broker Ibovespa instituições financeiras investidor investidores investidores estrangeiros investimento de longo prazo investimento em ações investimento na bolsa de valores investimentos em ações investimentos na bolsa de valores investir em ações investir na bolsa investir na Bolsa de Valores investir no Mercado de Ações mercado acionário mercado de ações mercado de capitais mercado financeiro nasdaq novos investidores Oferta de ações da Petrobras o que é home broker pequeno investidor PETR4 preço das ações preços das ações queda das bolsas renda variável valorização das ações vender ações volatilidade do mercado Wall Street índice da bolsa de valores

%d blogueiros gostam disto: